11 julho 2008

Caros amigos



A primeira coisa que fiz hoje de manhã foi abrir a caixa de correspondência para ler os e-mails de parabéns pelo meu aniversário. Não fui frustrado em minha expectativa. Estavam lá três mensagens carinhosas: uma do meu provedor de internet, outra do Orkut e a terceira de um desses catálogos de endereços de que não lembro de ter me inscrito.
Que boa memória, a das máquinas. E quanto amor em suas palavras. Elas me desejam toda a felicidade do mundo, agradecem pela minha existência e me prometem bons serviços até a morte.
Os amigos não me mandaram emails. Alguns telefonaram, outros ficaram de dar uma passadinha para um abraço. Mas nenhum se dignou a me mandar uma mensagem pelo mais sublime dos meios de comunicação. As máquinas sabem disso. E por saberem, alçam-se acima dos homens no que tange a demonstrações de apreço e consideração.
Sigo, pois, a tendência geral das gentes pós-modernas. Vou prescindir do amor dos homens. Somente as máquinas me escrevem. Há muito amor por mim no coração das máquinas.

3 comentários:

Samelly Xavier disse...

Há sempre amor no ferro dos coração maquinários, mas é bom preferir a fragilidades dos clichês humanos. Por isso, aceite um parabéns atrasado de uma desconhecida.

Abraços recitados!

Juliêta Barbosa disse...

Ronaldo,
Existe amor também nas ausências que não se manifestam... Que você tenha esse ano uma passarela de pétalas de rosas para tornar o seu caminhar mais suave.Um abraço de 'palavras-caramelo' por todas as ausências sentidas.

elizabeth olegario disse...

SALVE!
SALVE !
Rona,a 180KM de distância existe alguém que sempre lembra com carinho de uma pessoa pra lá de especia.
Lembro de nosso primeiro contato no CALÌGUA ,Rua chile e sempre quardo com carinho os seu sorriso como quem sabe de tudo mais prefere fingir que nada esta acontecendo e é de coração que mesmo atrasada te emeno os melhores sentimentos e te desejo tudo de bom muita luz e paz e que os bons ventos possam soprar em tua vida.
SEJA FELIZ!