16 março 2007

Pedra na vidraça


Jogaram uma pedra na vidraça da janela da sala. Ela estava ocupada com não-sei-quê lá no quarto. Largou o que fazia e foi ver o que tinha acontecido. Não tinha acontecido nada. Havia só uma pequena mancha no vidro que na certa sairia com um pano molhado.
Quis se aborrecer, mas desistiu. A rua lá fora estava bonita, com os raios amarelados do fim de tarde lambendo com preguiça as casas da frente. Esqueceu o não-sei-quê lá dentro, arrastou a cadeira de balanço para perto da vidraça e ficou olhando a rua, até que um cochilo disse que era noite.
E assim ficou sendo por muito tempo. Toda vez que um não-sei-quê tomava conta do seu tempo, uma pedra batia na vidraça; Ela já sabia. Era hora de ir pra janela ver a tarde passar até o cochilo trazer a noite.
Não foi diferente naquela tarde em que a pedra bateu, a tarde caiu e o cochilo entrou noite a dentro, noite a dentro, noite a dentro...

Um comentário:

Only feelings... disse...

A vida parece um não-sei-o quê engraçado que ninguém entende e que todo mundo quer repetir.
Desculpe-me a ausência,foi por motivos de problemas no computador maiores.:)