28 maio 2009

Pesar














Pesamos todos mais 21 gramas.
É o peso da alma do amigo
que arrastamos
toneladamente.

Falta paquidérmica
densa
insustentável.


Ronaldo Monte

Imagem obtida em


5 comentários:

Thiago Fernandes disse...

muito bonito o ritmo imposto na
segunda estrofe, solene, triste,
de luto, "pesado"

VaneideDelmiro disse...

O insurportável peso do que (de quem) já não está...

Tocante poema, Ronaldo!

Juliêta Barbosa disse...

Ronaldo,

Feliz o homem que tem a sua 'casa' construída sob os alicerces da amizade.Ele nunca será esquecido!

Angela disse...

Lindo!

José Antonio disse...

Olá, amigo poeta
Como sempre, teu verbo curto, vero e sibilante.
Adaga que toda me inclui no pasmo e pesar pelo amigo Barreto.
Que Deus nos tenha - e de novo com ele!
jassunção