29 abril 2010

O poema da lua


Existem muitos poemas dedicados à lua. Não há poeta, creio, que já não tenha cometido ao menos um verso comovente para a lua. Desconfio que até os uivos dos lobos e cachorros sejam poemas dedicados à lua cheia.

É angustiante acompanhar a espera da noite por Álvaro de Campos, (talvez o mais fértil da legião que habita Fernando Pessoa), no poema “Dois excertos de odes”. Toda a angústia, nossa e do poeta, se acaba quando “no alto céu ainda claramente azul (...) a lua começa a ser real.”

Como ao poeta, a lua cheia sempre nos pega de surpresa. Não há quem não se espante ao vê-la, de repente, começando a ser real. Foi semelhante espanto, certamente, que minha neta sentiu na última lua cheia. E foi tanto espanto, que ela o quis repartir com sua mãe. Do alto dos seus dois anos e meio, levantou as mãos para apanhar a lua. Com a lua nas mãos, voltou-se para a mãe e lhe deu a lua de presente.

Sem saber de metáforas ou metonímicas, a menina fez a lua ser mais real em suas mãos do que era real solta no céu. Ela transformou a lua em presente e a deu de presente a quem mais amava.

Naquele momento, pelas mãos da menina, foi composto o mais belo poema que a lua cheia possa merecer.


Ilustração: Veruschka Guerra

5 comentários:

Bonifacio Segundo disse...

Ronaldo Monte, toda vez que eu leio um desses textos maravilhosos que você escreve, sou acometido por uma intensa vontade de levantar dessa cadeira e ir até a sua casa dar-lhe um abraço. Pena que eu não saiba onde mora.

Um abraço virtual.

Angela disse...

Comovente!
Os netos nos fazem outros...

crisvalter@yahoo.com.br disse...

Belo poema, professor, aliás andamos todos precisando muito de estética nesses tempos de drogas e violência. Nada melhor que uma dose de lua, se for cheia melhor ainda para saciar as ansiedades. Quanto a mim, adora a lua, acho que ela me possui. Há, sem dúvida, uma ligação intrínseca e misteriosa ente nós, pois ela sempre me surpreende quando me visita. Valeu, professor, como diz o Howard,precisamos, urgentemente cultuar o Belo, o Bom e o Justo. Bom final de semana.

Valeska Asfora disse...

A vida felizmente nos mostra exceções ao que parece ser a regra.Em meio a tanta coisa miúda,ainda temos coisas simplesmente grandiosas que nos deixam com uma vontade danada de mais e mais achar a vida bela,de amar a vida e lutar por ela...Duas dessas "coisas" são o olhar a lua e ler os seus textos.

Dorli disse...

Oi Ronaldo,

Apesar de ter estudado só o segundo grau, o que me fez a diferença foi que sempre li muito e vejo no seu blog um espelho.
Se quiser saberá...
Abç
Lua Singular